quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Mercado da maconha prestes a crescer mais rápido que o de smartphones

É isso mesmo que você está lendo,o mercado da maconha está prestes a crescer mais rapido que o dos telefones! já é de se esperar.
spanbiggrow
A maconha legal está entre os mercados que mais crescem nos Estados Unidos, e está crescendo a uma taxa prestes a superar a expansão do mercado mundial de smartphones, de acordo com um relatório obtido pela The Huffington Post.
Pesquisadores entrevistaram centenas de varejistas de maconha medicinal, processadores, proprietários de farmácias, dispensarias e líderes da indústria ao longo de seis meses este ano, e estima-se que será vendido mais de 1,43 bilhões de dólares em maconha em 2013. O relatório também prevê que o número cresça 64%, para os 2,34 bilhões de dólares no próximo ano. Em comparação, os números recentes mostram que o mercado de smartphones cresceu em torno de 46% entre 2012 e 2013.
“A maconha é uma das indústrias que mais crescem”, disse Steve Berg, um ex-diretor do Wells Fargo Bank e editor do relatório. “Internamente, não fomos capazes de encontrar qualquer outro mercado que está crescendo tão rapidamente.”
Embora seja importante notar que os smartphones ganharam popularidade antes da maconha medicinal se tornar uma indústria viável, Berg disse que seu objetivo era ilustrar o quão rápido se expande o mercado da maconha legalizada. De acordo com o grupo de pesquisa IDC, o mercado de smartphones está crescendo 7,3% ao ano nos EUA.
“Os empresários e investidores privados estão migrando para mercados de maconha ” disse Berg. “Aqueles que realmente entendem a dinâmica do mercado, vão colher grandes recompensas.”
Y2RhMTUwZGE0ZCMvQ3F3dHNpSTNUZGZLWVl4cEg5QzJfZTJ4X1RJPS8xMHgxMDo1MTg0eDMyNzMvODQweDUzMC9zMy5hbWF6b25hd3MuY29tL3BvbGljeW1pYy1pbWFnZXMvZDU4NTU3NWJmMzkxMjA4MzExZjBjOTEyNDg5MTFmMWViOWY0NDgzMWY0NjYwZDk5YzIwOTc0YjE5ZjJlODg0My5qcGc=
Dispensarias de maconha medicinal são um exemplo de sucesso nos EUA.
A maconha medicinal é legal atualmente em 20 estados e no Distrito de Columbia. Ano que vem, Washington e Colorado começarão a comercializar maconha para fins recreacionais para todos os adultos e segundo Berg, obviamente, os estados contribuirão para o crescimento do mercado. Sozinho o Colorado deverá injetar ano que vem pelo menos mais U$359 milhões ao mercado já existente no país.
O crescimento da indústria da maconha coincide com uma mudança generalizada na atitude da população em relação a erva. Uma recente pesquisa da Gallup descobriu que, pela primeira vez na história, mais da metade dos americanos acham que a maconha deveria ser legalizada no país tanto para fins medicinais quanto recreativos. Um documentário da CNN foi ao ar nestes últimos meses explorando os benefícios da maconha e as pessoas estão usando cada vez mais as propriedades a planta para tratar os sintomas de enfermidades, inclusive em crianças: uma coalizão de conservadoras mães mórmons em Utah, recentemente começou a fazer lobby para o acesso seguro ao óleo de maconha (Hemp Oil) para suas crianças epiléticas.
“Houve uma mudança sísmica nas atitudes públicas em relação à maconha”, disse Berg, explicando que com a mudança da opinião pública as leis também estão propensas a mudar. “Os eleitores mais jovens vão se tornar uma proporção cada vez maior na base de votantes. Começa com mudanças de atitudes que se traduzem em iniciativas”.
O relatório prevê que mais 14 estados vão legalizar a maconha para o uso recreativo adulto nos próximos cindo anos, criando um mercado potencial de UU$ 10,2 bilhões em 2018.
Berg acrescenta que sua pesquisa só analisou a venda de maconha em si, seja no mercado atacado apra varejistas ou diretamente aos consumidores. Ele disse que o mercado de produtos auxiliares, tais como equipamentos de segurança, ferramentas e apetrechos, tem o potencial de impulsionar ainda mais esse crescimento.
“Este setor está se profissionalizando e vê um grande fluxo de profissionais vindo de outros setores”, disse ele. “Cada vez mais investidores estão entrando com financiamento para essas empresas, que tem cada vez mais e mais mercados para servir”.
Entretanto, o governo federal ainda tem que se ajustar à essa rápida evolução. Mesmo em estados que permitem o uso medicinal, a maconha continua a ser ilegal à nível federal e a Lei de Substâncias Controladas classifica a ganja como não tendo nenhum valor medicinal (completo absurdo). Inúmeros dispensarios na Califórnia foram autuadas nos últimos dois anos, fechando centenas de empresas e impedindo o crescimento da indústria.
Ainda assim, Berg continua otimista, citando a recente afirmação do procurador-geral  Eric Holder, que o Departamento de Justiça não iria interferir com a implementação de leis de uso adulto de maconha em Washington e Colorado.
gv32bf6ay0gwmjp1rv5otq
“A aceitação Federal não acontecerá de uma só vez”, afirma Berg. “Isso vai acontecer de maneira crescente, com passos importantes ao longo do caminho.”
Enquanto nos EUA jardineiros e maconheiros estão felizes com o crescimento do mercado, por aqui só nos resta sonhar e lutar bastante pra alcançar uma realidade parecida. Não é de agora que sabemos do potêncial desse mercado, mas infelizmente nosso conservadorismo pré-histórico ainda insiste nessa guerra assassina e sanguinária. Do jeito que as coisas andam por aqui, vale afirmar que somente quando a legalização federal for uma realidade nos EUA é que nós teremos alguma chance para uma legalização brasileira.