sexta-feira, 30 de maio de 2014

Pacientes brasileiros se unem para defender o uso da maconha medicinal


Em menos de 24 horas de existência, página no Facebook já tem mais de mil seguidores.
Mais uma vez, as redes sociais demonstram o papel fundamental que desempenham no processo de legalização da maconha no Brasil. Um exemplo claro é a página recém-criada Eu Uso Maconha Medicinal, na qual estão sendo reunidos os depoimentos de diversos pacientes que fizeram (ou fazem) uso da maconha como tratamento para suas condições.
A página no Facebook foi criada nesta quinta-feira (13), e já conta com mais de mil seguidores. A ideia é trabalhar a questão da maconha do ponto de vista dos pacientes que necessitam da ganja. Exemplos não faltam, inclusive alguns já conhecidos do movimento.
Um dos depoimentos é de Gilberto Castro, de São Paulo, portador de esclerose múltipla. Em seu depoimento Gilberto relata como foi a descoberta da doença e como veio encontrar na maconha um alívio para sua condição médica.
As sensações desta doença são muito ruins e mesmo que a doença seja controlada eu fico ainda muito mau e foi assim por muito tempo, demorou alguns anos até conseguir ficar razoavelmente acostumado com as limitações que foram de coordenação e sensibilidade, até fui apelidado em virtude da estranheza dos movimentos de Playmobil. Neste meio tempo, toda visita ao medico relatava pra ele todos os sintomas, até que um dia um destes o médico olhou pra mim de uma forma diferente, se inclinou e disse em voz baixa, ” Se você fumar um baseadinho vai ajudar”. Fumei!!! E foi a transformação ficou muito mais fácil aguentar os efeitos e sensações da doença, que até aqui eram apenas a dormência completa no corpo, movimentos estranhos e dessincronizados, formigamentos, tonturas e sensações de pressão em lugares aleatórios pelo corpo, calor e frio. Mas quando fumava ficava muito mais fácil de suportar, a dormência não alterava muito, mas a pressão amenizou, mudanças de temperatura tb, tonturas pararam e os formigamentos quase nada. Muito mais tranquilo e fácil de suportar.
Outra usuária medicinal é a Rose Castro, que sobre de fibromialgia, hérnias de disco e uma doença degenerativa na coluna. Ela afirma fazer uso da maconha há 3 anos e que os benefícios são muito positivos em relação aos nocivos medicamentos industrializados à base de ópio que lhe foram receitados por seus médicos.
Um dia uma pessoa me ofereceu um baseado e eu aceitei, depois de umas três tragadas logo percebi que tinha encontrado o remédio perfeito, pois a dor passou como mágica! Passei a pesquisar sobre a maconha, lendo, assistindo vídeos, falando com pessoas que usavam, então resolvi jogar no lixo os remédios que tomava e passei a fumar todas as noites. Desde então eu não travei mais, não precisei mais ser levada ao hospital. Passei a viver com mais dignidade, paz, alegria, finalmente passei a me sentir feliz!
Outros pacientes estão chegando ao grupo, que promete ser uma poderosa ferramente para canalizar esses pacientes “escondidos” e promover a cura do câncer e outras doenças, a maconha medicinal.
Se você é um paciente que faz uso da maconha como medicina (ou se conhecer alguém que o faça), siga a página Eu Uso Maconha Medicinal e faça parte dessa corrente que promete provar que o uso medicinal da maconha já existe no Brasil, é proibido e muito necessário.