quarta-feira, 23 de abril de 2014

Legalização da maconha pode reduzir a criminalidade, aponta estudo


Segundo estudo publicado na semana passada, a legalização da maconha nos Estados Unidos não elevou a criminalidade no país. Pelo contrário, os resultados sugerem que a liberação da erva para fins medicinais tem feito cair o número de homicídios e assaltos.
Conduzida por pesquisadores da Universidade do Texas, a investigação se baseou em dados do FBI para examinar os índices de criminalidade nos EUA ao longo dos últimos dezesseis anos. As taxas de homicídio, assalto, furto e roubo de veículos foram analisadas e comparadas em cada um dos 50 estados norte-americanos entre os anos de 1990 e 2006.
“A análise não indica o aumento dos crimes após a legalização da maconha para fins medicinais. Ao contrário, nos estados onde a canábis está legalizada, é possível estabelecer uma correlação com a diminuição nas taxas de homicídios e assaltos”, diz o artigo veiculado na revistaPLOS One. 
Ou seja, cai por terra mais um mito proibicionista – talvez tão arraigado & equivocado como a esquizofrenia - o de que a legalização da maconha representa um perigo para a segurança pública.
Os pesquisadores sugerem ainda que a possível causa para a redução das taxas de criminalidade deve-se à substituição do álcool pela canábis. “Os resultados estão alinhados com evidências de longa data que mostram como a legalização da maconha pode levar a uma redução do uso de álcool”, cita o relato.
E continua:
“Dada a relação entre uso de álcool e crimes violentos, a substituição da bebida pela maconha leva à redução de crimes violentos que puderam ser detectados em nível estadual.”
É aquela velha história que a gente já contou por aqui: “álcool mata; maconha resgata”.